Esse blog é fruto é de uma Oficina que ministrei em Tatuí, de abril a novembro de 2011,por meio da Oficina Grande Otelo, espaço da Secretaria de Estado da Cultura.Oficina esta que foi realizada numa das salas do Museu Paulo Setúbal.SueliAduan









sábado, 19 de maio de 2012

O fio da navalha



Não que a vida daquele casal fosse um inferno. O fato é que não viviam bem. Mas aquele dia, da galinha ao molho pardo, foi a gota d’água. Flagrou a mulher degolando a ave com sua navalha de estimação. Ainda se fosse degolar algo mais interessante, mas galinha ao molho pardo.  Ele nunca havia comido e jamais comeria. O bate-boca começou cedo. Por pouco não se pegaram nos tapas. Desorientado, pegou a navalha e saiu atrás de um afiador.  Voltou mais irado ainda, porque o infeliz não havia dado o fio como ele queria. Abriu as portas e começou a fazer o que tinha de ser feito. Já estava na quarta navalhada quando um moleque entrou gritando:
- Pare, seu Alcides. É a sua mulher,....é a sua mulher que pediu pro senhor fechar a barbearia e ir almoçar. Ela mandou avisar que fritou dois ovos pro senhor.

                                                                                                          Ary Roberto


Nenhum comentário:

Postar um comentário